Selecione o idioma:

HotelInvest na Mídia

Hotéis como alternativa para preservação de patrimônio

FIABCI/BRASIL
29/10/2014

Em momentos de maior volatilidade muitos investidores ficam receosos em aplicar seus recursos em investimentos puramente financeiros e buscam o porto seguro do investimento imobiliário.

Entre os investimentos de base imobiliária, os que hoje parecem ter melhores perspectivas de preservação de valor, e até mesmo de valorização, são os ativos hoteleiros, de maneira especial os localizados na cidade de São Paulo.

Por investimentos hoteleiros entendem-se tanto os hotéis propriamente ditos quanto os condo hotéis (ou flats), que nada mais são que hotéis cuja propriedade é pulverizada entre diversos investidores, donos de um ou mais de seus apartamentos.

A perspectiva de retorno de um investimento hoteleiro depende de dois fatores: a oferta e a demanda.

Quanto à demanda, não existe muita surpresa. A demanda hoteleira guarda uma forte correlação com o PIB. Com as perspectivas de baixo crescimento econômico, o crescimento da demanda hoteleira também não deve ser brilhante.

A boa notícia para os investidores, entretanto, vem do lado da oferta. Existem poucos hotéis (ou condo hotéis) em construção em São Paulo e os obstáculos para se construir novos empreendimentos hoteleiros na cidade vem sendo cada vez maiores.

Neste sentido, podemos considerar, por exemplo, a questão dos terrenos. Antes de 2004 era possível se construir empreendimentos hoteleiros tanto em terrenos de zoneamento residencial quanto comercial. Hoje, estes só podem ser construídos em terrenos comerciais. Além disso, terrenos que tinham um potencial de construção de até 4 vezes naquela época, tiveram esse potencial reduzido para 1 com o plano diretor recém aprovado.

Desde o fim dos anos 90, quando houve a última grande onda de construção de hotéis em São Paulo, a ocupação de São Paulo tem aumentado muito. Hoje é difícil encontrar terrenos em zonas nobres da cidade, como Jardins, Itaim, Faria Lima, Consolação etc., regiões mais buscadas pelos hóspedes.

Todos esses obstáculos deverão fazer com que a oferta de empreendimentos hoteleiros na cidade de São Paulo cresça menos do que a demanda, aumentando a rentabilidade dos empreendimentos se, consequentemente, o seu valor. Se, além disso, levarmos em consideração que muitos hotéis têm parte substancial da sua receita em dólares, a perspectiva de aumento de rentabilidade poderá se acentuar no caso de uma previsível desvalorização do real frente ao dólar.

Por todos esses fatores vale a pena considerar a hotelaria hoje como uma opção de investimento para a preservação de patrimônio. É importante lembrar, entretanto, que no caso de se optar pela compra de algum dos poucos empreendimentos hoteleiros em lançamento na cidade, não se pode deixar de ler com atenção o estudo de viabilidade.